.

The freewheeling

domingo, 30 de março de 2014

...sobre filmes que não acabam como esperávamos...

Tenho passado bastante tempo lendo livros e quadrinhos, assistindo filmes e ouvindo músicas. E tenho lido algumas biografias legais, é divertido saber a história de outras pessoas, te faz sentir menos miserável, já que alguém que você admira também já passou por adversidades e nem sempre foi imponente como pode parecer. Tenho procurado músicas novas, que me agradem de alguma nova forma, alias creio que essa tenha sido minha cruzada por anos, buscar sons novos, não sei o que me move a fazer isso, mas sinto essa necessidade. Quanto aos filmes.... cada vez mais amo filmes com idiomas diferentes, algo distante do inglês e diferente do português. Amo filmes em espanhol, adoro a suavidade com que pronunciam o "s" e como parecem cantar quando falam. Adoro os árabes falando tão rápido e engolindo silabas que me faz crer que nunca aprenderia aquele idioma. O que eu tenho reparado também quanto as películas, é que boa parte delas não terminam como eu espero, nos primeiros trinta minutos de filme eu tenho criar um final legal para ele, mas acabo me surpreendendo com algo que nunca esperei. Gozado pois isso se remete a vida, eu crio expectativas nos primeiros "trinta minutos" e no fim sou surpreendido, e também com a vida acontece isso, no fim dos filmes, crio finais alternativos, imagino novas situações e diálogos e tento concertar o que me pareceu errado, claro que ambos são impossíveis, arrumar filmes e vidas não está em minha lista de habilidades. As músicas, a sim, as vezes elas encaixam como uma luva, perfeitas, parecem terem sido compostas em cima de tudo aquilo. Criei o hábito de anotar frases interessante, sejam de livros, filmes ou músicas, mesmo que mentalmente tenho anotado. Pode parecer idiota e infantil, mas a vida imita a arte e vice-e-versa, ou seja a arte tenta espelhar a vida, as frases também, tudo aquilo busca trazer alguma mensagem, qualquer que seja. Uma frase interessante que la menos de uma hora, foi de um livro que levei anos para terminar, pois tinha um vocabulário muito cheio de rodeios e me cansava a leitura, mas por fim me agradou um fim, a frase foi:
 - Como um cachorro!
E ela refletia como somos tratados perante a justiça, seja ela qual for, a Lei, o divino, os humanos, a vida, qualquer que seja, no fim de tudo, quando não temos mais valor algum ou não há mais interesse em nossa presença e/ou habilidades, influência, somos descartados como cachorros! Como em outro livro/filme há uma frase que diz: "Tenho amigos descartáveis, como os alimentos de um avião, açúcar descartável, sal, sabonete, shampoo". Em todas as relações somos descartáveis, e largados como cachorros (e eles mais do que ninguém não merecem serem descartados).

sábado, 22 de março de 2014

Só mais um café gelado (2)

E mais duas tiras saíram na página do só mais um café gelado no facebook... confiram ai:



Para quem tiver interesse de acompanhar a continuação dessa tira semanal basta curtir a página do facebook: https://www.facebook.com/somaisumcafegelado
ou o tumlbr: http://so-mais-um-cafe-gelado.tumblr.com/

domingo, 9 de março de 2014

Você nunca me amou, eu fui uma temporada, um estado... um cara legal e diferente, agora sou só mais um e você é indiferente.. não choro por você, não mais... pra quê sofrer? Fiz muitas coisas para que isso funcionasse, e apesar de ainda não resistir ao teu sorriso dá próxima vez , eu creio que não haverá próxima vez, não estarei de portas abertas, você é como um mal, como um problema, e acredite eu não quero mais tentar resolver.
Viva sua libertinagem, se bem que você parece mais do tipo que casa com o primeiro babaca, eu também sou bem volátil, mas sei quais recipientes quero estar... já você parece o ano, a cada quatro meses tem um diferente para se adequar.
E pensar que eu escrevi e desenhei muito por você, se os trabalhos que fiz espelhassem a musa inspiradora todos estariam uma grande porcaria. Não quero ser rude, mas deveria ter consciência do que estava em jogo ao me envolver com alguém um tanto quanto limitado e conservador, é claro duro acreditar na mascara de guy fawkes com mente de elizabeth thatcher...ainda brinco achando que um dia você vai ler tudo que eu escrevi, mas acho que não, é melhor assim...