.

The freewheeling

sábado, 8 de junho de 2013

Esquidebládenir


"Veja você, onde é que o barco foi desaguar

A gente só queria um amor

Deus parece às vezes se esquecer

Ai, não fala isso, por favor
Esse é só o começo do fim da nossa vida
Deixa chegar o sonho, prepara uma avenida
Que a gente vai passar

Veja você, quando é que tudo foi desabar

A gente corre pra se esconder

E se amar, se amar até o fim

Sem saber que o fim já vai chegar
Deixa o moço bater
Que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo motivos
Pra um amor de tantas rugas
Não ter o seu lugar"


  Os irmãos adoram brincar, e assim eram Freya e Frey, por serem superiores a tudo que acontece e a todos que vivem podiam se dar ao luxo de brincar com a vida dos mundanos e se divertirem com isso. E foi assim que uma noite os mesmos estavam sentados conversando e então pensaram em intervir na vida de alguém, talvez com traquinagens, apenas para brincar com a mente dos medrosos. Observaram diversos seres e nenhum pareceu interessante, até que se viram em uma pequena taverna onde um casal e mais algumas pessoas se divertiam bebendo cevada. O clima era de descontração e alegria, então os dois decidiram esperar pra ver.
  Após tal reunião eles partiram, Freya e Frey os seguiram, sabiam que poderiam brincar e se divertir com aquilo. Enfim estavam em casa, lá se preparavam para dormir e então Freya sorriu para o irmão e fez com que o amor reinasse no ambiente, o quarto exalava amor. O irmão se deliciou com a reação, os mortais se amavam, Frey então decidiu brincar mais um pouco, e fez com que a chuva caísse, pesadamente fazendo ruido nas janelas e telhas. Foi bem vagarosamente até o ouvido do rapaz e disse:
 - Vá a chuva!
 O rapaz então propôs que fossem, e ambos saíram e se amaram, com a bênção de Máni e Nótt, sob o Esquidebládenir, Freya e Frey voltaram para Asgard se divertindo do que acabaram de proporcionar, pensavam que estavam salvando a vida de alguém, ou quem sabe construindo algo.
 Mas os deuses se esquecem, sempre que constroem há um outro deus buscando a destruição, e desde a chagada ao plano mundano um deus maligno os seguiam de perto, seu nome era Loki, o mesmo só busca a destruição, e após tal episódio resolveu instaurar o Ragnarok na vida de tais pessoas, e assim o fez tudo caiu, ele se fez satisfeito e partiu para a Asgard também.
 E nós mundanos? O que podemos fazer, estamos sujeito ao poder divino dos deuses que se divertem com nossas atitudes e vidas? Infelizmente é assim, naquela noite Freya e Frey fizeram o que achavam certo, despertaram o amor, e como dizem as canções, o Ragnarok pode chegar mas o que perdurará será o amor.


Ian Stickertal

Nenhum comentário:

Postar um comentário