.

The freewheeling

terça-feira, 26 de março de 2013

Um Café Gelado

  É noite, eles chegam juntos, e separados ao mesmo tempo. Ela sempre com um sorriso no rosto, ele com cara de nojo, mas antes de falar deles, vamos falar dela. Beirando os 45 ela viaja acompanhada de uma amiga com a mesma faixa etária, nunca se casou, não é feia, mas carrega as marcas dos anos passados. O que procura? Apenas alguém para si, o que todos nós procuramos, um lugar para aportarmos. Não é a primeira noite dela naquele café, na noite passada veio com a amiga, olhou o movimento, gastou um bom tempo, mas a noite não acabou ali, saíram já pelas 10, no mínimo encontraram alguns caras mais jovens com muito musculo e pouco cérebro e deixaram-se entregar na primeira noite.
  Vamos voltar a noite de hoje, eles chegam, ela animada pede sua bebida, ele abre um celular e entra na internet, talvez tenha aceitado o convite apenas por isso. Ela toma seu café e o encara, ele nem ao menos levanta os olhos da tela, ela continua o encarando, então diz:

-           Legal aqui né?
-           É!
-           Você não vai beber seu café? Vai esfriar!
-           Já já eu tomo!

  Ela desiste de um diálogo, continua com seu café e a encara-lo, levanta-se, paga a conta, sorri ao atendente e volta para a mesa, e carinhosamente diz:

-           Vou a farmácia tá?
Ele não responde, e ela repete:
-           Vou a farmácia...
-           Você não ia a farmácia?
Decepcionada ela sai.

 Andou por um quarteirão com os olhos molhados sem entender, porque a tratava assim? Noite passada fora tão carinhoso, nem parecia mais a mesma pessoa, em sua cabeça aquilo não fazia sentido. E ele continuava na mesa, celular aberto, páginas de internet e um café gelado.

3 comentários:

  1. Essa história eu conheço!!!! Da pra escrever um livro com isso aqui , kkkk!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir