.

The freewheeling

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ecravoeducação

"Sejam bem vindos a escravoeducação, voce entra com seu conhecimento nós entramos com má remuneração. Trabalhe por cinco, mas receba por um, até porque você nem vai notar nossas manobras para te ludibriar. Temos um fantástico sistema onde voce irá perder horas sem receber nada, ahh é claro,  voce tambem deve conhecer nossos livros, e obviamente deve fazer isso em um tempo extra já que nós não vamos te pagar mesmo. Por fim, pedimos a nossos profissionais que saiam da mesmice, preparem coisas novas, estimulem seus alunos, mas lembrem-se que nunca vamos te dar atenção e nem mesmo receberá por isso! Não se incomode com o dinheiro, afinal você precisa de nós e não é o contrario, nós temos nome e quem estiver interessado vai nos procurar. Não se sinta um lixo por talvez algum empecilho atrapalhe sua vida profissional, como mesquinharia e talvez até mesmo abuso de pouco poder, afinal temos orgulho em te-lo em nossa família!"

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Eu Sonhei que Tu Estavas tão Linda


 O carro para próximo ao local do crime, ele desliga a chave do contato, olha para ela e respira fundo, ela o encara com um olhar terno e esboça um sorriso. Ele coloca a mão em seu cabelo e diz:

-       Essa vai ser a ultima vez querida!
-       Uhum! – ela responde com aquele jeito que ele gosta
-       Depois dessa vez poderemos ir embora e viveremos em paz...

Ela sorri e fecha os olhos deliciando a cena de uma vida calma longe de tudo aquilo.

-       Vamos morar em uma casinha pequena, onde a gente possa ver o por do sol todo dia com nossos filhos.

Ela o encara com olhos brilhantes, ele passa a mão em seu cabelo, e pergunta:

-       Você está pronta amor?

 Ela concorda com a cabeça, ele faz um sinal, e ambos colocam a meia calça no rosto, saem do carro e entram na loja, ele grita palavrões e ela joga a mala sobre o balcão, ele aponta a arma ela apenas segura a sua. Tudo acontece muito rápido, o atendente enche a mala com dinheiro e com cara de pânico, parece até que viu a morte. E na cabeça dele soa como uma musica calma, quem sabe um ballet onde cada movimento parece ter sido ensaiado a anos, e os acordes ajustados para entrarem em sincronia com a dança.
 A calmaria se dissipa por um som de tiro vindo de fora, passa muito perto dele, ele arregala os olhos e prefere não ver, um homem grita:

-       Saiam, vocês estão cercados!

Ele percebe que deu tudo errado, corre e se esconde atrás de um balcão, ela não, quem sabe a ânsia por conquistar os planos futuros a fizera perder a cabeça, ela começa a disparar como uma louca e a gritar, ele olha por trás da mureta e diz:

-       Se esconde agora! Abaixa agora!

 Ela não dá ouvidos, ele volta a se esconder, barulhos de tiro ecoam pela loja, quando ele olha novamente ela está caída com a barriga cheia de sangue, ele a olha e ela o encara fixamente, seu olhos já sem vida parecem sonhar com uma casa no interior, as crianças no balanço, mas nada disso será possível, não mais. Ele grita:

-       Não – e tudo se mistura, grito e choro.

 Ele está ofegante, descontrolado, os policiais ainda atiram, ele tira sua meia do rosto, olha bem para suas mão, vê sua arma brilhante, não há saída, seu amor está morto, ele será preso, ele toma folego, encaixa a arma em sua boca, respira fundo uma vez mais e puxa o gatilho. Ele cai de lado, ainda consegue ver os olhos dela, tudo começa a escurecer, a loja, o dia, sua vida.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Desenhe e Publique!

Bom pessoal mais uma história foi publicada lá no desenhe e publique. Apesar de aqui já ser repetida, vou colocar o link para quem quiser conferir por lá, valeu:

(clicar na imagem para ir ao Desenhe e Publique)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

é só mais um, dia comum

Vídeo que eu havia gravado a um tempo, mas só fui editar essa semana que passou. Para faze-lo prendi a câmera na moto e filmei meu caminho diário.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Repulsa...

 Se tem algo que não me dá o mínimo orgulho é ser humano. Como posso me orgulhar de fazer parte de um grupo onde os seres matam por prazer, por ganância, e por poder? Dizem que o que nos difere dos outros animais é a habilidade de pensar, e raciocinar. Eu discordo, o que nos difere dos outros animais é nossa habilidade de não pensar, nossa habilidade de destruir tudo que existe ao nosso redor. Eu sinto repulsa  ao perceber que criamos preconceitos e divisões, sinto repulsa ao saber que muito vivem com plenas condições se aproveitando de outros que vivem em situações precárias. Sinto repulsa ao ver casos de estupro, assassinato, espancamento, brigas de torcidas, guerras religiosas, faxinas étnicas. "O seu e o meu são iguais, correm nas veias sem parar", sem ordem e sem respeito nos destruiremos, quem sabe seja o melhor a acontecer, ao menos nossa existência repugnante deixará de atrapalhar a vida dos outros animais que realmente merecem viver.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Union Arts

 É isso ai galera...a revista Unionarts desse mes está com a história "A Flor"...isso aquela msma de sempre....deem uma conferida nos trabalhos dos outros artistas tbm...vlw...abraxxx