.

The freewheeling

sábado, 29 de dezembro de 2012

Eu odeio o jeito que você atravessa aquela sala, o jeito que caminha e o como que encara as pessoas, você as vê ao redor, mas nunca vai compreender o que pessoas representam... Tudo parece uma competição, no estilo quem tem o pau maior, não nasci para ganhar ou para competir, vá, faça a sua, leve tudo, eu não quero ter esse esforço. O que mais me irrita é saber que não interessa quem, ou aonde, você será o primeiro a tentar me atrapalhar, o tipo de pessoa que não merece existir. Eu não julgo ninguém, esse não é o meu papel, só gosto de escolher com quem ando, tenho que saber quem será o primeiro filho da puta que irá me apunhalar, e se mesmo sabendo quem o fará eu o mantiver por perto, quero estar pronto para receber o impacto.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Semana de vídeo (parte 5)

E por fim outro vídeo tocando bateria. Acredito que isso deve ser um saco para quem não toca...mas eu gosto de filmar e editar...acho legal....é isso, vlw:


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Semana de vídeo (parte 4)

Esse vídeo foi feito junto com alguns garotos que estavam andando de skate na pista da praia, curtinho, mas eu gosto:

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Semana de vídeos (parte 1)

Bom, faz muito tempo q eu não coloco um vídeo nesse blog, então essa semana em especial será toda dedicada a vídeos que tenho feito ao longo desse ano, para começar (em ordem cronológica) temos um cover de batera q eu fiz a um tempo...o vídeo não é lá mto interessante mas....ta ai:

sábado, 8 de dezembro de 2012

Uma opinião.

Quero deixar claro que esse texto exerce apenas a função de expressar uma opinião minha, não que os dados aqui descrito sejam verdade ou mentira, apenas o uso como ferramenta de despejo de algo que nasceu em minha cabeça.

A sociedade é uma linha reta, e sua direção é para baixo. Sim, tudo caminha para o fim, vivemos uma época onde nada funciona e tudo culmina para a quebra do sistema. Não temos educação descentes, não temos líderes que nos representem com dignidade e seriedade. Também não temos uma base familiar que nos sustente. Temos inflação, desemprego, fome, e injustiça.

Todo cidadão que possui algum bem material, físico tem que pagar impostos. Imagine que tenha uma casa e um carro, a prefeitura de sua cidade ira cobrar o IPTU e IPVA para cada um deles. Agora imagine a renda que gera para o estado, a arrecadação de todos os cidadãos, cada casa um valor, cada carro um valor. Certo, milhões de reais vão para os cofres publicos, mas por que? Simples, alguém tem que asfaltar as ruas, ilumina-las, cuidar da água, da eletricidade. Ainda temos a policia, os bombeiros, hospitais, prefeituras, escolas, e todos os orgãos publicos a serem sustentatos.

Certo, então tudo isso de dinheiro deve dar para construir uma cidade incrivel não? Na teoria sim, mas na pratica não é o que acontece. Normalmente nós pagas todos os impostos e nossas ruas continuam esburacadas, então nossos carros quebram, e consequentemente levamos na oficina mecanica. É cobrado umc erto valor, obvio que pagamos e então esperamos ficar pronto (lembre-se que o mecanico paga imposto por ter um comercio, e aluguel que boa parte é revertido em IPTU).

Certo já que nosso carro (comprado do nosso bolso) quebrou em nossa rua (paga com nosso imposto, mas que está sem manutenção, mesmo com o imposto pago) e nós o deixamos no mecanico (que também paga imposto por comercio e por imóvel), vamos utilizar do transporte publico para ir trablhar hoje.

Transporte público, como o nome já diz é público, e custa apenas R$ 3,00. Apenas R$3,00 diários para ir até a estação, e lá mais R$3,00 para pegar o trem, na volta mais R$3,00 para o trem e mais R$3,00 para o onibus de volta. Nossa em um dia já temos um gasto de R$12,00, em um mes de 30 dias e 4 fins de semanas temos a incrivel conta de R$264,00 mensais. Ufa, ainda bem que a empresa paga a minha condução, mas espera ai, tem um pequeno desconto de R$132,00 pelo vale transporte, então acho que nós pagamos a condução... Mas esse não é meu caso, só vou usar o transporte público hoje, amanha meu carro estará pronto.

Ok, é caro, mas tenho que pagar se não faltarei no trabalho. Faço todo o trajeto, casa-onibus, onibus-trem, trem-trabalho e cumpro com meu horario até o almoço. Saiu e vou comer, até que enfim o descanço do guerreiro, e lá se vão mais R$20,00, mas fique tranquilo, a empresa paga, mas é claro que também temos o desconto, já que pagamos R$20,00 por dia, temos em um mes de 30 dias e 4 fins de semana o gasto de R$440,00, e um incrivel desconto de R$220,00. O dia de trabalho acabou, vamos para casa afinal.

Novamente o trajeto trabalho-trem e ai trem-onibus. Ao esperar o onibus tem um senhor "vendendo" passagens mais barato que o valor, o motorista ve tudo, o cobrador também, e por que não fazem nada? Por que não saem de lá e o impedem de vender? Álias porque essa passagem é tão cara que tem uma pessoa que consegue vender a mais barato. Para garantir a qualidade de vida dos cidadãos o estado deve adotar algumas medidas, medidas essas que são muito uteis para nós, e para eles também (já que não querem uma revolução a porta). Uma dessas soluções é chamada de "subsídio" que nada mais é do que uma verba liberada pelo estado (que inclusive vem de nossos impostos) para que o produto receba uma queda no valor, assim a empresa privada não perde e a população tem o produto (trasnporte) mais barato.

 Mas porque isso não acontece? É simples, pense que a prefeitura faz um acordo com as companhias de transporte mais ou menos assim: "Façamos assim, eu te pago menos, vocë cobra mais, eu ganho metade da verba destinada ao subsídio e vocë continua ganhando parte dele e a condução a valores altissimos, topa?" Óbvio que a empresa topa, ganhar de dois lados, perfeito. A condução se mantem cara, a população paga e pronto, pagamos impostos, subsidios, taxas e mais taxas e ainda a condução (R$3,00).

Chegando no momento de pagar o onibus tem um "santo", um "anjo" uma criatura dos céus que te oferece a passagem por apenas R$2,50, perfeito, mas, porque ele está lá? Como ele consegue mais barato? Simples, o trabalhador recebe o vale transporte da empresa (que inclusive desconta do salário dele) mas ele não precisa disso para ir trabalhar, então ele vai e decide vender, o rapaz que vai comprar não vai pagar o valor integral, ele paga apenas 50%, o trabalhador topa e deixa assim suas passagem com o comprador. Ele por sua vez se posiciona em um ponto final de onibus, ele sabe que o motorista, ou até mesmo outros funcionários não vão gostar disso então o que ele faz? Suborna algumas pessoas e pronto, já conseguiu o produto a 50% do valor real (ou menos) vende a 75%, passa 10% ao funcionário e voilá, temos uma máfia.

Isso é um absurdo, como nunca soubemos disso antes? Simples, lembra que eu disse que o dinheiro de nossos impostos serviriam para sustentar o estadado, inclusive a educação? Então isso não acontece! O estado apenas ajuda a depreciar a educação, ele nunca estimula positivamente alunos e professores, desanimando assim os jovens e os mestres. O professor não pode ganhar bem, ele deve se sentir desvalorizado para não ter coragem de dar boas aulas. A escola não deve ter boas aulas, nem bons materiais, nem uma boa educação, assim, todos desanimam e construimos uma sociedade burra.

Que governo cruel esse seu, ele não apóia, ele não constrói, ele apenas arruina o pouco que temos, porque? Oras simples, uma população educada seria o mesmo que pedir para ter uam revolução e tudo mudaria, as velhas familias jamais sairiam do poder, os partidos não existiriam e assim tudo sairia do controle, agora com um bando de burrinhos é fácil de se virar.

Ah, mas ainda bem que temos a rede globo e suas novelas, ou até mesmo o datena, afinal, ali eu posso relaxar e esquecer tudo isso. Errado, já ouviu falar do pão-e-circo? Pois bem, esse é o equivalente mas contemporaneo. A tv não informa, não educa e não ajuda. Transmite apenas o que é de interesse dos organizadores de nossa sociedade. Noticias manipuladas, nada parcial, entretenimento que busca mostrar a futilidade e lavagem cerebral para os não educados (como vimos, grande parte da população).

A sociedade me desanima, eu nem falei ainda da inflação, do desemprego, da mão de obra desqualificada, do deserrespeito das autoridades quanto ao cidadão, dos problemas da sáude, segurança, saneamento, estrutura, cultura.... é como eu disse, é uma linha reta, que direciona para baixo.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

(...)

"Hoje eu andei por muitos lugares, andei muito, fui e voltei...parecia que ela estava lá o tempo todos, o cheiro dela estava lá! Eu procurei, mas não encontrei...senti saudade"
 (Ian Stickertal)

sábado, 1 de dezembro de 2012

Y.

Odeio quando acompanho séries grandes e elas acabam....sinto saudade dos personagens como se eles fossem meus amigos.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

objeto


com certeza esse é o objeto que eu mais gosto....penso que ele já passou por muitas mãos...e que um dia outra pessoa ainda o fará funcionar, se ninguém o quebrar será eterno.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Cartaz [...]

cartaz q eu fiz para um campeonato dos alunos da wizard:

(clique na imagem para ampliar)

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

(...)


Uma pequena tela q eu fiz para um artigo, achei bem legal....ela mede 20x20 e fica do lado da minha cama rs

terça-feira, 16 de outubro de 2012

... and in the end I think I'm just a lonely boy, who lives with his own monsters and hates to remember the farewell taste... "

"... e final eu acho que sou apenas um garoto solitário, que vive com seus próprios monstros e odeia lembrar o gosto da despedida..."

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

(...)


“ O Inferno é um lugar cheio de maquinas de escrever, carimbos, e telefones funcionando ao mesmo tempo!”



 Era um salão gigantesco, tão grande que não era possível ver o final. Barulho de pessoas falando e pequenos ruídos que ao juntar tudo não era possível identificar de onde vinham e nem como eram produzidos. Ele entrou e logo viu milhares de mesas, com milhares de funcionários e milhares de pessoas em milhares de filas. Aquilo deixaria qualquer um confuso, e é claro, ele não escapou da confusão.
 Encaminhou-se a uma funcionária que ficava entre as filas, claramente ela estava ali para esclarecer, ele então decidiu perguntar:
-       Bom...dia?
-       Bom dia! – Ela respondeu
-       É... me encaminharam para cá, porque eu preciso de um documento para poder passar para outro estado.
-       Que documento senhor?
-       Não sei ao certo, uma espécie de autorização
-       Hmm... quem te enviou até aqui?
-       Um rapaz do setor marrom!
-       Ah, ok. O senhor tem todos os documentos necessários ai com o senhor?
-       Sim!
-       Cópias de todos os documentos?
-       Cópias?
-       Sim, para que possa ser emitida a autorização, é necessário documentos originais e cópias.
-       Mas pra que cópias se os originais já estarão presente?
-       Senhor, é o protocolo.
Ele suspira e diz:
-       Onde posso conseguir cópias?
-       No subsolo tem uma pequena tenda que presta serviço de cópia senhor.
-       Ok, muito obrigado.
-       Por nada!

Ele então foi em busca de um elevador, andou, e andou, e nada do elevador. Encontrou um homem de terno, parecia um segurança e então disse:
-       Com licença, onde tem um elevador para o subsolo?
-       Haha, elevador? Aonde você pensa que está? No “paraíso”?
-       É....não, só achei que havia um elevador...
-       Não, aqui vocês tem que andar de escada, que esta a poucos passos a sua direita!
-       Ok, obrigado!
O homem nem se quer respondeu.

Ele desceu as escadas, e parecia não ter fim, desceu e desceu, até que chegou, encontrou a tenda e uma fila gigantesca nela. Após horas de espera conseguiu tirar todas as suas cópias e na hora de pagar tinha apenas algumas moedas de prata, que foram aceitas como pagamento. Encaminhou-se a escada e voltou ao grande salão, procurou novamente a mulher das instruções, mas no momento ela estava ocupada, esperou, e assim que ela informou os outros transeuntes ele perguntou aonde deveria se encaminhar para conseguir a dita autorização, e ela disse:
-       Vá ao setor laranja, triagem
-       Ok!

 Se orientou por placas e encontrou o setor azul, mais alguns segundos perdido, e pronto estava na fila da triagem. Nem preciso dizer que ele perdeu mais algumas horas até ser atendido, mas finalmente conseguiu conversar com o rapaz:
-       Bom dia!
-       Bom dia – respondeu o jovem
-       Preciso de uma autorização para passar para outro estado
-       Quem te encaminhou?
-       Setor marrom!
-       Certo! Está com todos os documentos ai?
-       Sim!
-       Cópias?
-       Sim!
-       Ok, então me de seu R.G., CPF, CIC, CNH, Certidão, e Atestado.
-       Aqui estão – e passou todos eles pelo balcão,
-       Hmm...senhor, acho que esse Atestado não vai ser aceito.
-       Mas por que?
-       Bom, está em péssimo estado, vou ter que conferir com meu supervisor.
-       Por favor, estou a mais de 5 horas andando por esse lugar!
-       Aguarde um momento, vou conferir!
-       Ok!
O jovem saiu, e foi falar com o supervisor, demorou alguns segundos, e voltou com uma expressão meio triste.
-       Senhor será necessário solicitar um Atestado novo!
-       Mas eu não tive culpa, o maldito do Caronte me fez escorregar no barco e minha mão com o Atestado foi parar no rio por alguns segundos, a culpa é dele e não minha!
-       Lamento senhor. É o protocolo!
-       Então que se dane tudo, vou voltar para o meu outro estado!
-       Isso é impossível senhor!
-       Como é impossível? Eu vou pra onde eu quiser!
-       Na verdade não senhor! Esta é uma área de transição, quem entra só sai em outro estado!
-       Impossível, eu prefiro morrer
-       Senhor, seria redundante fazer isso novamente!
O homem desconcertado e revoltado se dirige até um banco e se joga, como um saco de batata, irritado por todo aquele estresse atoa ele fechou os olhos, e não conseguiu ter paz, naquele enorme salão milhões de pessoas falavam, milhões de carimbos batiam ao mesmo tempo, milhões de folhas de papel sendo manuseadas, milhões de maquinas de datilografar em funcionamento, e milhões de telefone tocando. Ele mal podia esperar para ir para o inferno!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Índios!


a uns meses atrás eu li um livro sobre a vida indígena sob o olhar de um índio, e acho q foi isso que me inspirou para fazer esse trampo!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ecravoeducação

"Sejam bem vindos a escravoeducação, voce entra com seu conhecimento nós entramos com má remuneração. Trabalhe por cinco, mas receba por um, até porque você nem vai notar nossas manobras para te ludibriar. Temos um fantástico sistema onde voce irá perder horas sem receber nada, ahh é claro,  voce tambem deve conhecer nossos livros, e obviamente deve fazer isso em um tempo extra já que nós não vamos te pagar mesmo. Por fim, pedimos a nossos profissionais que saiam da mesmice, preparem coisas novas, estimulem seus alunos, mas lembrem-se que nunca vamos te dar atenção e nem mesmo receberá por isso! Não se incomode com o dinheiro, afinal você precisa de nós e não é o contrario, nós temos nome e quem estiver interessado vai nos procurar. Não se sinta um lixo por talvez algum empecilho atrapalhe sua vida profissional, como mesquinharia e talvez até mesmo abuso de pouco poder, afinal temos orgulho em te-lo em nossa família!"

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Eu Sonhei que Tu Estavas tão Linda


 O carro para próximo ao local do crime, ele desliga a chave do contato, olha para ela e respira fundo, ela o encara com um olhar terno e esboça um sorriso. Ele coloca a mão em seu cabelo e diz:

-       Essa vai ser a ultima vez querida!
-       Uhum! – ela responde com aquele jeito que ele gosta
-       Depois dessa vez poderemos ir embora e viveremos em paz...

Ela sorri e fecha os olhos deliciando a cena de uma vida calma longe de tudo aquilo.

-       Vamos morar em uma casinha pequena, onde a gente possa ver o por do sol todo dia com nossos filhos.

Ela o encara com olhos brilhantes, ele passa a mão em seu cabelo, e pergunta:

-       Você está pronta amor?

 Ela concorda com a cabeça, ele faz um sinal, e ambos colocam a meia calça no rosto, saem do carro e entram na loja, ele grita palavrões e ela joga a mala sobre o balcão, ele aponta a arma ela apenas segura a sua. Tudo acontece muito rápido, o atendente enche a mala com dinheiro e com cara de pânico, parece até que viu a morte. E na cabeça dele soa como uma musica calma, quem sabe um ballet onde cada movimento parece ter sido ensaiado a anos, e os acordes ajustados para entrarem em sincronia com a dança.
 A calmaria se dissipa por um som de tiro vindo de fora, passa muito perto dele, ele arregala os olhos e prefere não ver, um homem grita:

-       Saiam, vocês estão cercados!

Ele percebe que deu tudo errado, corre e se esconde atrás de um balcão, ela não, quem sabe a ânsia por conquistar os planos futuros a fizera perder a cabeça, ela começa a disparar como uma louca e a gritar, ele olha por trás da mureta e diz:

-       Se esconde agora! Abaixa agora!

 Ela não dá ouvidos, ele volta a se esconder, barulhos de tiro ecoam pela loja, quando ele olha novamente ela está caída com a barriga cheia de sangue, ele a olha e ela o encara fixamente, seu olhos já sem vida parecem sonhar com uma casa no interior, as crianças no balanço, mas nada disso será possível, não mais. Ele grita:

-       Não – e tudo se mistura, grito e choro.

 Ele está ofegante, descontrolado, os policiais ainda atiram, ele tira sua meia do rosto, olha bem para suas mão, vê sua arma brilhante, não há saída, seu amor está morto, ele será preso, ele toma folego, encaixa a arma em sua boca, respira fundo uma vez mais e puxa o gatilho. Ele cai de lado, ainda consegue ver os olhos dela, tudo começa a escurecer, a loja, o dia, sua vida.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Desenhe e Publique!

Bom pessoal mais uma história foi publicada lá no desenhe e publique. Apesar de aqui já ser repetida, vou colocar o link para quem quiser conferir por lá, valeu:

(clicar na imagem para ir ao Desenhe e Publique)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

é só mais um, dia comum

Vídeo que eu havia gravado a um tempo, mas só fui editar essa semana que passou. Para faze-lo prendi a câmera na moto e filmei meu caminho diário.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Repulsa...

 Se tem algo que não me dá o mínimo orgulho é ser humano. Como posso me orgulhar de fazer parte de um grupo onde os seres matam por prazer, por ganância, e por poder? Dizem que o que nos difere dos outros animais é a habilidade de pensar, e raciocinar. Eu discordo, o que nos difere dos outros animais é nossa habilidade de não pensar, nossa habilidade de destruir tudo que existe ao nosso redor. Eu sinto repulsa  ao perceber que criamos preconceitos e divisões, sinto repulsa ao saber que muito vivem com plenas condições se aproveitando de outros que vivem em situações precárias. Sinto repulsa ao ver casos de estupro, assassinato, espancamento, brigas de torcidas, guerras religiosas, faxinas étnicas. "O seu e o meu são iguais, correm nas veias sem parar", sem ordem e sem respeito nos destruiremos, quem sabe seja o melhor a acontecer, ao menos nossa existência repugnante deixará de atrapalhar a vida dos outros animais que realmente merecem viver.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Union Arts

 É isso ai galera...a revista Unionarts desse mes está com a história "A Flor"...isso aquela msma de sempre....deem uma conferida nos trabalhos dos outros artistas tbm...vlw...abraxxx