.

The freewheeling

domingo, 31 de outubro de 2010

bored lifes!


Como me disse uma amiga....acho que nos gostamos porque nossas vidas são chatas....e tô achando que é verdade mesmo. Faz uns 4 anos que venho pensando nisso, cada dia mais chato, mais entediante, mais cotidiana. Será que vai mudar? Não sei....

"Eu cresci assim, menino genioso e impulsivo,
E acho que gosto desse meu jeito.
Uso as mesmas camisetas, sempre tenho mil problemas
Nunca escondo meus defeitos."

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

vetor.....

Ai vai um vetor q eu fiz essa semana que passou na aula de INFO.....é um logo que eu ja postei aqui, mas ai agora eu vetorizei, vejam ai todas as imagens, dele desenhado, pintado a mão e vetorizado....flww!!!
(OBS: usei o ilustrator)




quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Feliz!

Se lembra quando tudo era tão bom?
E éramos livres! Ao menos achavamos ser
Se lembra que nunca pensamos em nos ter?

Me lembro da sua voz, até o ton.
Me lembro de você desejando
É...as coisas vão mudando.

Nunca mais será igual
Você não esta mais aqui
Parece que chegou o final
Acho que te perdi

Continuarei sem você
Que nem “olá” me diz
Afinal a estrada vai além do que se vê
E espero que seja feliz.


Stickertal

domingo, 10 de outubro de 2010

SWU - Resenha

Nesse fim de semana véspera de feriado, em Itu-SP acontece o evento “SWU – Start With U”, que seria o “Woodstock” brasileiro, mas.....
O Inicio:
Em Agosto de 1969 acontecia na cidade de Bethel no norte de Nova York um festival de musica. Inicialmente esse festival aconteceria em Woodstock, mas os moradores reclamaram e não foi possível ser feito lá, assim sendo os organizadores levaram o festival para uma fazenda de 600 acres à uma hora e meia de distancia.
Foram vendidos 186.000 ingressos antecipadamente (18 dólares cada ingresso), os organizadores esperavam cerca de 200.000 expectadores, mas não foi isso que aconteceu. Cerca de 500.000 invadiram a cidade, derrubaram cercas e acamparam ali dentro da arena mesmo, e isso fez de Woodstock o festival mais fantástico de todos os tempos, lendário em sua execução, em suas apresentações, em suas ações. Mesmo com tantas pessoas o festival foi pacifico.
Aqui e agora:
Dia 9 de outubro de 2010, em Itu iria começar o “Woodstock” brasileiro, chamado de SWU, a idéia do evento era: Conscientizar a molecada de que se não começasse com eles o mundo acabaria, por isso o nome “SWU – Start With U” em português, “Começa com Você”. Chegando em Itu, tudo normal, filas e mais filas, para pegar o ônibus, para pegar o ingresso, para entrar no evento, para ser revistado, para comprar fichas, para gastar fichas, para comer, para ir ao banheiro, enfim filas em todos os cantos.
O evento estava simplesmente fantástico, uma estrutura sem igual, aparelhagem monstruosa, e bandas realmente esperadas. Se não fosse o publico....teria sido perfeito, mas vamos falar das bandas:
Los Hermanos:
Admito que não estava em meus planos ir a esse festival, até que foi anunciado uma banda que eu queria ver, pensei em ir, mas não era nada concreto. Até que algumas semanas antes do primeiro dia do evento, o “Los Hermanos” confirmou sua presença no dia 9. Bom, não pude negar a ver a banda que estava em hiato a algum tempo.
Entraram no palco, fizeram um show espetacular, ao menos pra mim, só faltou algumas musicas do primeiro disco, mas tudo bem. O show foi ótimo, o que me trouxe problemas foi; aconteceu no mesmo palco que iria acontecer o mais esperado da noite “Rage Against the Machine” assim sendo estava cheio de gente esperando os gringos, resultado, fiquei longe pra cacete, assisti pelo telão e com um monte de gente que não gostava conversando do meu lado impossibilitando muitas vezes que eu pudesse ouvir o que se passava. Mas fazer o que né? Se eu quisesse ver eles sozinho contratava pra tocar na sala de casa.
Esse nós só não filmamos porque estavamos mto longe, mas ai vai o video da globo!
Segue o set list:

  • Além do Que Se Vê
  • Todo Carnaval Tem Seu Fim
  • Retrato Pra Iaiá
  • Morena
  • Fingi Na Hora Rir
  • Sentimental
  • A Outra
  • Cara Estranho
  • De Onde Vem a Calma
  • O Vencedor
  • Último Romance
  • Deixa o Verão
  • Do Sétimo Andar
  • O Vento
  • Condicional
  • A Flor

Não está na ordem, mas foram essas musicas ai que eles tocaram, que eu me lembre. Cantei do inicio, ao fim, e sem duvida valeu muito a pena ir ver os caras.
Nota: 10,0!
The Mars Volta:
A banda tem uns 9 anos, 5 discos e é fantástica. Tudo começou com uma banda chamada “At the Drive – In”, onde tocavam Omar, e Cedric. Era uma grande banda, com um som único e incomparável. A banda teve seu fim, e assim Omar e Cedric decidiram montar um projeto tão bom e chocante quanto o anterior, esse projeto se chama “The Mars Volta”.
O show foi fantástico, os caras mandam muito, sem igual. O que faltou? Mais musicas, pelas minhas contas foram só 5, ou 4, não me recordo, e faltou também musicas do segundo disco, e do disco que eu mais gosto o primeiro. Dancei, pulei e gritei o show inteiro e a vantagem foi: eles fecharam o palco água, assim, estava “vazio” o que possibilitou eu ficar bem pertinho do palco. Como eu disse no “Los Hermanos” eu não ia ir nesse festival até que o “The Mars Volta” anuncio que viria, fiquei com vontadinha, depois que os “Hermanos” confirmaram, ai tive que ir. Sem duvida esse foi o melhor show da noite.

Video que o bruno fez.
Set List:
  • Cotopaxi
  • Goliah
  • Eriatark
  • Roulette Dares (The Hunt Off)
  • Cicatriz ESP

Essas sãos as que eu me lembro, e não sei se a ordem está certa, mas ta valendo.
Nota: 11,0!

Rage Against the Machine:
“We are Rage Against the Machine from Los Angeles, California”, foi assim que começou o show do Rage Agains the Machine. A banda que existe desde 1991 subiu no palco do SWU no horário previsto causando euforia no publico. Uma banda lendária a muito tempo esperada em todo o mundo estava ali diante de nossos olhos, foi simplesmente chocante.
Não vou dizer que sou o maior fã dos caras, tenho em minha casa dois discos deles e nem conheço direito os dois, mas estava lá, e não tinha como deixar de ver. Musicas como “Bombtrack”, “Bulls on Parade”, e “Guerrilla Radio”, embalaram a noite que foi curtida com muita felicidade (ao menos por nós que estávamos no alto da colina). Apesar da banda ser fantástica o show teve alguns problemas, o primeiro deles foi: O publico, a galera não se controlou quando o show começou e foi empurrando, apertando, e jogando, assim a grade de proteção da área VIP, e da pista comum caiu, e isso fez a banda parar e pedir para que todos dessem um passo para trás para que pudesse ser re-organizado.
video que eu e o lipe fizemos na roda-gigante!

Após o retorno do show aconteceu um defeito técnico, o som simplesmente parou. Ao menos o nosso som, o retorno da banda não parou, assim eles continuaram a tocar freneticamente enquanto o publico assistia aquilo como um cinema mudo. Não durou muito até que tudo se normalizasse. Mas infelizmente aconteceu novamente, e levou um tempinho maior para que pudesse voltar. Após esse “pequena” falha técnica o show foi de vento em polpa e acabou com a lendária “Killing in the Name” que fez geral gritar e pular loucamente.
Set List:
  • Testify
  • Bombtrack
  • People Of The Sun
  • Know Your Enemy
  • Bulls On Parade
  • Township Rebellion
  • Bullet In The Head
  • Calm Like A Bomb
  • Guerrilla Radio
  • Sleep Now In The Fire
  • Wake Up
  • Encore:
  • Freedom
  • Killing In The Name

O show só não foi perfeito por esses três pequenos probleminhas, que por sinal a banda não teve a mínima culpa. E por eu ser um “leigo” se tratando de Rage “Against The Machine”, mas tai foi ótimo.
Nota: 9,0!

O Fim:
Apesar de todas as filas, e afins, o evento estava bom até a saída. Uma confusão sem igual, ninguém sabia se subia, ou se descia, se andava ou se parava, falta de informação. Os ônibus que nos levaram agora estavam todos espalhados sem poder ir ou voltar, todos cheios. O pessoal que não conseguia lugar neles chutavam e apedrejavam, vidros quebrados palavrões a todo momento, empurra-empurra, em fim, uma confusão.
Puta evento, bandas fantásticas, estrutura sem igual, mas o que faltou para ser um verdadeiro Woodstock foi o respeito mutuo. Enquanto lá foi um evento pacífico, aqui houve violência e falta de respeito, a idéia básica que seria a conscientização não rolou, pois as 2hrs da madrugada foi organizado um mutirão para que pudesse ser limpa a arena inteira, que estava coberta por latas e embalagens de comida.
Outro ponto negativo foi o precinho salgado, não apenas do ingresso(concordo em pagar uma quantia alta para aproveitar um dia com muitas bandas), mas também de qualquer produto negociado lá dentro. Como aconteceu em Woodstock o evento foi visando lucro, mas ninguém proibiu o publico de entrar portando comida ou bebida. E se ao menos lá dentro custasse um preço justo seria legal, mas 7 reais numa lata de cerveja aqui na minha terra se chama abuso.
Por fim mesmo, descobri que aqui nessa terra vai ser meio difícil de ter um publico organizado e educado, e um organizador justo, ao menos terei histórias para contar a meus filhos, e netos. É Woodstock foi mais romântico.


Mini Galeria de Fotos: